Eu danço, e tu? - Uma perspetiva sobre o significado de dança.

Atualizado: 27 de jan.



Falar de dança é, inequivocamente, falar de uma forma de expressão artística que transcende o corpo, a sala de aula ou o palco. A dança é uma herança cultural, genética, física, sensorial, sensitiva e emocional, uma lembrança de uma fisicalidade que não se explica, mas que se sente, um resquício de uma memória motora distante, mas que nos é tão próxima.


A ligação ao ritmo, a necessidade de nos mexermos, faz parte da condição humana e de toda a sua história. Dos rituais que sobreviveram aos tempos, da construção de matrizes ancestrais de movimentos que serviram de base aos diversos estilos de dança, das reinterpretações destas matrizes de movimentos e da sua sistematização em técnicas, a dança é espelho de cultura, é a corporalização dos valores, manifestação das ideias, estéticas, maneirismos e linguagens de um povo, grupo, pessoas ou pessoa. Dança é arte, mas também é apenas movimento, é profissão, mas também é hobby, é técnica, mas também é sensação, é competição, mas também é espetáculo, é sistemática, mas também é experimental.



Atualmente, a dança representa um importante estilo alternativo de prática pedagógica, pois

permite direcionar o movimento corporal de cada aluno para uma exploração da sua capacidade de criação, estimulando o autoconhecimento e favorecendo a aprendizagem em toda a sua multiplicidade de dimensões. A sala de aula, o estúdio de dança e o palco são, para os alunos, espaços por excelência de interlocução e reflexão, pois garantem a relação entre o conhecimento em dança e as relações sociais, políticas e culturais. A dança será sempre, na sua essência, uma manifestação de caráter étnico, mas para o ensino é a dimensão da expressão corporal e motora que assume protagonismo nas estruturas educativas. A expressão pela linguagem corporal, a disciplina inerente ao trabalho das diferentes técnicas, capacidades físico-motoras e performativas são, por si só, fatores determinantes de desenvolvimento de carácter e personalidade, crescimento físico e intelectual.


O local de celebração da dança dá, indiscutivelmente, contexto à mensagem e define a natureza e limite do seu alcance. Ao longo dos tempos, a dança tem sido retirada do seu contexto mais ancestral, reciclada pelas suas constantes reinterpretações e realojada numa multiplicidade de habitats. Para os bailarinos, o estúdio de dança é o local de trabalho e o palco o local de celebração.


Nesse sentido, as escolas de dança desempenham um papel fundamental na formação integral do intérprete de dança e na perpetuação da cultura artística dos diversos estilos de dança existentes.


68 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo